Espaço onde se abordam relevantes questões relacionadas com o desporto em geral.
Terça-feira, 04 DE Setembro 2012

A Federação Portuguesa de Remo foi declarada insolvente pelo Tribunal Cível de Lisboa, esta terça-feira, a pedido da empresa de transportes Moisés Correia de Oliveira, que reclama uma dívida de 100 mil euros dos Europeus 2010 organizados em Montemor-o-Velho.

Joaquim Sousa, presidente da comissão administrativa da FPR ressalva, no entanto que a entidade "não é extinta, pois não se trata de insolvência com falência".
"Foi nomeado um administrador de insolvência e a Federação entregou um requerimento para a recuperação. Agora, o administrador judicial, juntamente com a comissão administrativa, vão apresentar um plano de insolvência, recuperação, que vai ser avaliado em assembleia de credores e depois tudo seguirá o seu curso", referiu à Agência Lusa.

Sediada em Montemor-o-Velho, a Moisés Correia Oliveira, que já tinha promovido um arresto de bens à sede da federação, em Lisboa, foi responsável pelo transporte de cerca de 800 atletas e dirigentes das 34 delegações presentes no campeonato da Europa de Remo de 2010, altura em que assinou um contrato com a FPR presidida na altura por Rascão Marques (resignou há uma semana), com quem "nunca mais" conseguiram contactar.




publicado por Pedro Miguel Branco às 20:40
Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO